Pular para o conteúdo

17 de outubro de 2008

Marta pede a cassação de Kassab por “checão” do metrô

por cila schulman

CONRADO CORSALETTE – da Folha de S.Paulo

A campanha de Marta Suplicy (PT) entrou ontem com uma representação na Justiça eleitoral na qual pede a cassação da candidatura reeleitoral de Gilberto Kassab (DEM), seu adversário no segundo turno da sucessão em São Paulo.

O comitê petista acusa o prefeito de usar a máquina municipal em benefício próprio durante evento anteontem no qual anunciou um investimento da prefeitura de R$ 198 milhões nas obras do Metrô.

Serra recebeu das mãos de Kassab a réplica de um cheque de um metro e meio

Kassab posou ao lado do governador José Serra (PSDB), seu padrinho político, segurando um grande cheque simbólico com o valor do investimento.

Ontem, o site oficial da campanha do candidato do DEM estampava em sua capa uma foto registrando o evento público. A solenidade teve clima de comício e foi organizada pela MPM, uma agência de publicidade contratada pelo Metrô.

Segundo o advogado da campanha petista, Hélio Silveira, só a confecção e exibição do cheque simbólico já fere a Lei Eleitoral, que proíbe “propaganda institucional” durante o período de campanha. “Foi um ato político feito para que a equipe de Kassab divulgue no horário de TV, tudo pago com dinheiro público”, afirmou o advogado.

Além da cassação do registro da candidatura, a campanha de Marta pede a punição de Kassab e do presidente do Metrô, José Jorge Fagali, com multa.

A campanha do prefeito diz desconhecer o teor da representação, mas ressalta que “estranhou” a iniciativa: “O evento público aconteceu de forma absolutamente apropriada e foi testemunhado por toda a imprensa. É mais uma tentativa da campanha do PT de, no desespero com o resultado das pesquisas, tentar ganhar a disputa no tapetão”.

O Metrô informou não ter sido notificado, portanto não iria se pronunciar sobre o assunto.

Com os R$ 198 milhões repassados anteontem, a prefeitura soma investimento de R$ 503 milhões neste ano no Metrô, empresa controlada pelo governo do Estado. A iniciativa é bandeira eleitoral de Kassab.

A construção de um quilômetro de linha, com desapropriações e estações, varia de R$ 300 milhões a R$ 400 milhões, de acordo com a empresa.

Guerra jurídica

Desde o início do horário eleitoral no segundo turno, as campanhas travam intensa disputa na Justiça Eleitoral.

A propaganda petista que fazia perguntas sobre a vida pessoal de Kassab rendeu a ele 102 minutos de direito de resposta em inserções no rádio e 104 minutos em inserções na TV. Esse tempo é a soma dos minutos das inserções que serão exibidas em cada emissora.

Os advogados do prefeito conseguiram ainda que a Justiça mandasse recolher panfletos da campanha de Marta que comparava as gestões dos dois e o acusava de tentar derrubar o presidente Lula, além de “espalhar ódio contra seu governo”.

Agora, os petistas imprimiram às pressas mais 500 mil exemplares do panfleto. As acusações referentes a Lula foram excluídas. O trecho que afirmava que Kassab “reduziu o pré-natal da gestante negra” também desapareceu. O novo panfleto diz que Kassab é “contra” Lula e que, ao lado de seus aliados, “ataca o presidente da República o tempo todo”.

Colaboraram CATIA SEABRA e RANIER BRAGON, da Folha de S.Paulo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Observação: HTML é permitido. Seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Assinar os comentários

%d blogueiros gostam disto: