Pular para o conteúdo

28 de outubro de 2008

Baladeiro, verde e veggie é o novo prefeito de Bauru

por cila schulman

MATHEUS PICHONELLI
da Agência Folha

O município de Bauru e seus 347.601 habitantes terão como prefeito, a partir de 1º de janeiro, um ambientalista de 30 anos que diz que plantou 100 mil árvores nos últimos 17 anos e que não pretende cortar os cabelos compridos nem apagar seu perfil no Orkut após assumir o cargo. Ele foi eleito anteontem com 97.288 votos.

Rodrigo Agostinho (PMDB), que se aliou ao PT e desbancou o candidato apoiado pela cúpula do PSDB paulista, chega à prefeitura após conciliar oito anos como vereador. Ele diz que sua referência política é a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PT-AC).

Em seu perfil no site de relacionamentos, ele se descreve como “baladeiro de plantão”, amante de mergulho, rapel, rafting e trekking.

Agostinho é vegetariano desde 1992 –mesmo ano em que viajou até o Rio de Janeiro para a Eco 92 e resolveu fundar, aos 15 anos, uma ONG em Bauru.

Fundador do Instituto Vidágua, Agostinho foi quem idealizou e propôs à SOS Mata Atlântica, em 2000, o projeto Clickarvore, que permite a internautas doarem uma muda de árvore por dia e monitorar seu crescimento pela internet. Até hoje 17.564.742 árvores foram doadas. “É o maior projeto de reflorestamento do país”, diz.

Católico e solteiro, Agostinho mora com os pais e diz ser torcedor do Noroeste –clube da cidade que já teve como dirigente Caio Coube (PSDB), 51, seu adversário na campanha– e “para o Palmeiras às vezes”.

Durante a campanha, quando chegava aos bairros, era anunciado como “o nosso menino”. O rótulo foi usado pelos oponentes, que tentaram colar nele a imagem de inexperiente.

Agostinho diz ter feito a campanha com poucos recursos e equipe enxuta, sem a ajuda dos figurões de seu partido.

“Fizemos tudo na raça. Eu redigia os textos para o horário eleitoral, e o cinegrafista editava. Não temos marqueteiro.”

Bauru tem orçamento de R$ 328 milhões previsto para 2009. Só este ano, dívidas consumirão R$ 40 milhões, segundo a atual gestão. Investimentos são escassos: o município não tem Certidão de Regularidade Previdenciária e não pode receber transferências voluntárias de recursos pela União.

“Não tenho medo disso”, diz Agostinho, que pretende usar o apoio do PT para incluir Bauru no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento).

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Observação: HTML é permitido. Seu endereço de e-mail nunca será publicado.

Assinar os comentários

%d blogueiros gostam disto: